Requerimento sobre segurança nos pontilhões tem resposta positiva

Os guarda-corpos devem ser isentos de aberturas, saliências, reentrâncias ou quaisquer elementos que possam enganchar em roupas

Os guarda-corpos devem ser isentos de aberturas, saliências, reentrâncias ou quaisquer elementos que possam enganchar em roupas

O requerimento de autoria dos vereadores Jéferson Yashuda (PSDB) e Roger Mendes (Progressistas) protocolado em fevereiro deste ano solicitando mais segurança nos dois pontilhões do município – o que liga o centro da cidade à Vila Xavier e que fica localizado entre as avenidas 22 de Agosto e Duque de Caxias, e o existente entre as avenidas Padre Antônio Cezarino e Barroso – foi respondido.

No referido requerimento, os parlamentares perguntaram à Prefeitura se existia um estudo para a implantação de melhorias na estrutura do “pontilhão da Barroso”, levando em consideração as normativas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) e, em caso de estudo conclusivo positivo, em quanto tempo o Executivo levaria para adequar as estruturas do guarda-corpo do pontilhão.

Vale ressaltar que Yashuda e Mendes verificaram “in loco” que existem significativas diferenças no guarda-corpo de ambos os pontilhões, pois a ABNT prevê que a altura total do guarda-corpo deve ser de no mínimo 1,1 m e o distanciamento entre as barras verticais e horizontais do guarda-corpo não deve ser maior que 15 cm.

No caso do “pontilhão da 22”, o guarda-corpo apresenta altura entre 1,18 m e 1,2 m e distanciamento regular em várias barras verticais de 15 cm. Já o da Barroso, guarda-corpo com altura entre 0,89 m e 0,91 m, com apenas duas barras horizontais com distanciamento aproximado de 30 cm.

Depois de prorrogado o prazo para responder ao requerimento, a Prefeitura, por meio do prefeito Edinho Silva (PT), comunicou no dia 22 de abril que os projetos para ampliações e adequações às normas previstas pela ABNT dos guarda-corpos existentes nas pontes das avenidas Barroso e 22 de Agosto estão sendo elaborados pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, juntamente com a Coordenadoria Executiva de Mobilidade Urbana, e que após a conclusão dos trabalhos serão elaboradas as planilhas de custos para a futura execução dos serviços.

Autor: Rita Motta

Jornalista, especialista em marketing digital, fotógrafa e professora na área de comunicação MTB: 22.736/SP

Compartilhar essa notícia em
468 ad