Questões ambientais ganham foco cada vez mais na sociedade

Newton Bacarissa é engenheiro civil há quase 40 anos e proprietário da NLGB Bacarissa

Newton Bacarissa é engenheiro civil há quase 40 anos e proprietário da NLG Bacarissa

As questões ambientais vem ganhando um foco cada vez maior em diferentes setores da sociedade. A maior atenção é percebida nas Universidades, veículos de comunicação, empresas, organizações civis e por cidadãos individualmente. Existem cada vez mais disciplinas ambientais nos cursos superiores, os veículos de comunicação noticiam fatos ambientais com frequência e muitas famílias alteram os seus hábitos de consumo não só por questões econômicas mas, também pelo aumento de valores e princípios ligados a sustentabilidade ambiental. Assim a consciência coletiva do que é um dano ambiental e do que é socialmente aceito como prejudicial ao meio ambiente crescem dia após dia.

Esta conjuntura possibilita maiores investigações por parte do poder público, sejam elas preventivas ou corretivas em aspectos concernentes ao Meio Ambiente. Desta maneira nota-se o aumento por parte do Poder Judiciário dos processos em que temas ambientais estão presentes. Neste caso um dos profissionais que realizam a ponte entre as Ciências Naturais e as Ciências Jurídicas são os Peritos Judiciais Ambientais. Mesmo com o fato da maior visibilidade das questões ambientais, nota-se afalta de profissionais especializados e por conseguinte na dificuldade por parte dos Juízes de Direito de nomear peritos.

Pericia Ambiental

A multidisciplinaridade da Engenharia Ambiental, garante vantagem ao profissional para atuar no apoio a tomada de decisão judicial. Confira a entrevista que o engenheiro e perito judicial e ambiental, Newton Bacarissa concedeu ao portal de notícias Ponto de Vista Urbano.

A perícia é uma prova consistente na avaliação, exame e investigação técnico-científica de um caso, a fim de trazer clareza e veracidade aos fatos e facilitar a tomada de decisão do juiz. Quando a investigação ocorre na área ambiental, a perícia avalia o dano ou impacto ambiental causado por empresas ou pessoas físicas. Estima também a multa que deve ser aplicada para que a recuperação da área que sofreu interferência seja condizente com o dano causado.

O engenheiro civil e perito judicial e ambiental, Newton Bacarissa e proprietário da NLG Bacarissa atua com perícias há anos e destaca alguns pontos sobre esta área.

“Todas as perícias que já realizei foram de situações diferentes e complexas. Apliquei conhecimentos sobre ecologia, direito ambiental, técnicas de avaliação de impactos, valoração de danos e passivos ambientais, além de análise de riscos”, afirma Bacarissa.

Quando o juiz não possui conhecimento de um assunto científico específico, determina que um perito elabore um laudo pericial. Por possuírem conhecimento interdisciplinar, os engenheiros ambientais são os profissionais mais adequados para atuarem como peritos e assistentes técnicos em processos judiciais relacionados ao meio ambiente.

Pode ser perito judicial qualquer profissional de curso superior. Mas para exercer a atividade é necessário um curso específico para a área. “Não há horário fixo para o trabalho. Pode ser realizado quando se dispõe de tempo. E como a atividade não exige exclusividade, há possibilidade de o profissional estar empregado em outras atividades e realizar a perícia durante o tempo disponível”, afirma.

Bacarissa enfatiza que o perito ambiental judicial é um profissional legalmente habilitado, nomeado pelo juiz para esclarecer fatos que dependem de conhecimento técnico ou científico específicos. “Atuei em várias perícias em São José do Rio Preto e venho prestando serviços em outras cidades. Isso me gratifica, finalizou!

 

https://www.facebook.com/nlgbacarissa/

 

Autor: Rita Motta

Jornalista, editora de televisão e jornalismo na internet, que se especializou em jornalismo e marketing digital em comunicação.

Compartilhar essa notícia em
468 ad

1 Comentário

  1. Gostei muito….agora as pessoas saberão quais sao os serviços de um perito….bela entrevista…..esvlarecedora

    Responder

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *