Antônio Eugênio Nogueira da Gama – O presidente perfeito

A história de um apaixonado pela Ferroviária: ético, profissional, amigo e correto

Antônio Eugênio Nogueira da Gama, Presidente da Ferroviária, no biênio 1977/1979

Antônio Eugênio Nogueira da Gama, Presidente da Ferroviária, no biênio 1977/1979

Por: Rodrigo Coutinho Soró Sossolote

 

Antônio Eugênio Nogueira da Gama, ou Gama como era conhecido pelos afeanos, foi um dos presidentes mais importantes que a Associação Ferroviária de Esportes já teve.

Apaixonado pelo clube como homem ético, trabalhador, honesto e transparente foi assim na sua administração, durante o período de 26/11/1977 a 24/11/1979. Somente quis ser presidente por dois anos, pois pensava que era suficiente para fazer seu trabalho pelo clube, investindo no futebol, no estádio e no lazer dos associados.

O que marcou a sua gestão foi a venda do zagueiro Mauro Pastor, da Ferroviária, para o Internacional de Porto Alegre. Para conseguir vendê-lo, teve que ir até Guariba para convencer a mãe do jogador a deixá-lo sair da Ferroviária para, com o dinheiro, equilibrar as contas do clube, poder cumprir seu mandato e fazer o Ferrão de entrada, hoje arquibancada Sul. Durante o seu mandato, também realizou o projeto com a revista e carnê AFE no Nacional,com seis edições que corresponde hoje ao Sócio Torcedor, para que o time disputasse pela primeira vez o campeonato nacional.Foi um sucesso na época,com mais de 3.000 unidades vendidas. Tal disputa veio ocorrer posteriormente nos anos de 1.982 e 1.983.

Amigo, justo e correto, cobrava nos momentos certos. Era futebolista nato, investindo desde o futebol amador até as categorias de base. Sempre acompanhou o clube mesmo quando deixou a presidência até os últimos dias de sua vida.  Ajudava sempre a todos no que fosse possível para desenvolver projetos que elevassem o nome da agremiação.  Entre os seus feitos, destacam-se a doação de um ônibus para a delegação araraquarense, fato que permitiu a ela ganhar do Troféu Gandula, em 1980. Antes, porém, foi Presidente da Liga Araraquarense de Futebol e primeiro Secretário de Esporte da cidade.

Outros fatos que marcaram a sua administração foi o lançamento de Sérgio Clérice como técnico de Futebol em 1979, momento em que a Férrinha ficou em quarto lugar do Paulistão. Nessa data, o jogador já havia retornado da Itália para o Brasil, passando pelo clube afeano. Em seguida, Gama promoveu-o para técnico do time.  Clérice, depois disso, dirigiu grandes clubes como o Palmeiras em 1981, substituindo Telê Santana que foi para a seleção brasileira.Ganhou 19 jogos, perdendo um somente, tendo sido demitido injustamente. Conseguiu, contudo, recolocar-se no Santos e depois retornando novamente para a Ferroviária outras vezes,passando por vários clubes brasileiros até se aposentar recentemente aonde formou e lançou vários jogadores e técnicos para o futebol brasileiro.

Outro episódio que merece ser relembrado foi a ida do meio campo, Paulo César de Oliveira (PC), que foi técnico da Ferroviária, para a seleção brasileira a convite do técnico Antôninho, em 1977, depois de um ComeFerro em Ribeirão Preto aonde disputou o Torneio da França em 1978,ficando em terceiro lugar e sempre que Antoninho era técnico da mesma o chamava.Depois PC foi jogador de outros times,estudou e formou-ser para técnico de futebol de salão,sendo campeão mundial da seleção brasileira e agora está nos gramados,tendo sucesso também.

HISTÓRIA

Antônio Eugênio Nogueira da Gama nasceu na cidade fluminense de Quatis, cresceu e se formou em Resende, estado do Rio de Janeiro.  Mudou-se para Araraquara e trabalhou na fábrica da Nestlê como colaborador, tendo se aposentado nessa empresa.

Casou com Erotides e do casamento teve os filhos Eduardo Luís Nogueira da Gama, o Gaminha, já falecido (in memorian), também esportista que leva o nome da pista de skate, do complexo esportivo do Estádio da Fonte Luminosa, e Elizabete, empresária na cidade, trabalhando juntamente com os filhos André,Paula e Mariana.

A paixão pelo esporte e pela Ferroviária passou para a família que também a acompanha até hoje, ajudando-a como ocorreu em 2016 quando a farmácia  Santa Paula, genuinamente araraquarense  desde 1975, foi patrocinadora do clube.

 

Delegação Araraquarense que participou do Troféu Gândula em São Paulo, em 1.980, chefiada pelo Gama

Delegação Araraquarense que participou do Troféu Gândula em São Paulo, em 1.980, chefiada pelo Gama

Para os amigos que colaboraram comigo nesta reportagem, disponibilizando informações – os jornalistas Benedito Reginaldo Viviane (Tetê) e Wilson Silveira Luiz, – Gama era amigo do bem, respeitava as pessoas, passava confiança e dava liberdade para aquelas com as quais trabalhava na diretoria, dando sempre seu aval, algo hoje em extinção. Além disso, sempre estava disposto a ajudar com sua calma e seriedade as pessoas e o clube, sendo admirado e querido por todos até hoje, sendo chamado de O Presidente Perfeito.

Pista de Skate de Araraquara Antônio Eugenio da Gama Junior, o Juninho, já falecido (in memorian) no complexo esportivo do Estádio da Fonte Luminosa

Pista de Skate de Araraquara Antônio Eugenio da Gama Junior, o Juninho, já falecido (in memorian) no complexo esportivo do Estádio da Fonte Luminosa

Autor: Rita Motta

Jornalista, editora de televisão e jornalismo na internet, que se especializou em jornalismo e marketing digital em comunicação.

Compartilhar essa notícia em
468 ad

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *